Ana Maria Moreira

Barroco - Uma Síntese

13/04/2018

BARROCO-UMA SÍNTESE
BARROCO: Sensorial (conhecimento e expressão da realidade através dos sentidos.
1)Metáfora: o escritor barroco prefere a metáfora à comparação. Com ela o poeta revela semelhanças profundas (e subjetivas) que descobre na realidade.
2)Antítese: dualismo, bifrontismo, fusionismo, dois polos.
3)Paradoxo: opõe-se ao racionalismo renascentista
.
4)Hipérbole: grandiosidade e pompa.
5)Prosopopéia: realidade dinâmica.
6)Presença de palavras semelhante quanto à sonoridade: (aliteração, assonância, eco, paranomásia...)
7)Símbolos que traduzem efemeridade, a instabilidade das coisas: fumaça, vento, neve, chama, água, fogo, espuma e outros.
8)Interrogações
9)Emprego muito frequente de ordem inversa: hipérbato, anástrofe e sínquise.
10)Gradação“Oh, não aguardes que a madura...


Leia mais

Romantismo - Características

11/04/2018

  Romantismo – remonta às raízes medievais e repudia o espírito clássico.
  Datas: 1836 – “Suspiros Poéticos e Saudades” (Domingos José Gonçalves de Magalhães)             
             1881 – “Memórias Póstumas de Brás Cubas”/ “O Mulato” (Machado de Assis e Aluísio Azevedo)  

Romantismo – “romantic” -> “romaunt” -> “romances medievais”| Gênero que surge no Romantismo: ROMANCE Fato histórico – R. F. (1789). Consequência: entra em crise o sistema das monarquias absolutistas: vez do liberalismo e da ascensão da burguesia.  

Romantismo: é a literatura da burguesia, levada ao poder pela Revolução Francesa. Forma de vida.
Origem: Inglaterra, Alemanha e França, sendo esta última a divulgadora do movimento para o mundo.
Raízes do Romantismo: James Macpherson (escocês) Séc. XVIII
Ossianismo (Ossian) Séc. III d.C.
Novidades do Ossianismo:
Simplicidade vocabular e sintática; melodia...


Leia mais

Um pouco de Literatura... Vidas secas ainda

08/02/2018

                                               “A seca não é ruim, ou melhor, a seca é boa para várias camadas sociais do país.”
                                                    (Arnaldo Jabor)                                   

        Vidas Secas é uma composição literária aberta: seus capítulos são autônomos, ordenam-se por justaposição. Esse tipo de estrutura permite leituras variáveis, em sequência aleatória, numa disposição diversa da proposta pelo autor. Isoladamente, os capítulos são quadros, painéis diversificados a convergir para um mesmo...


Leia mais

A Importância de Machado de Assis um século depois de sua morte

08/02/2018

        Decorrido um século de ausência física,em 2009,  Machado de Assis continua a ser o escritor mais presente da Literatura Brasileira. Foi-se a matéria, mas ficou o espírito mais lúcido de toda a nossa cultura. Viva está a presença do bruxo do Cosme Velho nas Escolas brasileiras e no exterior, em várias etapas de estudo. Como todos os dias, hoje ele já se levantou, fez as abluções matinais, vestiu-se com requinte, com a ajuda da amada, Carolina, muniu-se de sua câmera microrrealística e saiu por ruas quietas _ ele sempre odiou multidões. Apertando os olhos míopes de tanto esforçar-se para ver além do normal, foi perscrutar a alma do homem do terceiro milênio cujo caráter deteriorou-se bastante em analogia ao homem do fim do século XIX. Porém, Machado e nós  temos  consciência de que persistem as vaidades fúteis, as hipocrisias, as ambições desmedidas, as invejas, a ociosidade, as traições, os adultérios- imaginados ou efetivados- os impulsos contraditórios, tudo isso no mais recôndito do ser humano, na sua...


Leia mais

À Aniversariante do Mês

13/01/2018

Dona Maria é uma mulher como as outras.
Que reza pelos filhos, pede a Deus e a Nossa Senhora para protegê-los e guiá-los.
E aos outros filhos que também são filhos e têm mãe.
E, principalmente, aos que não têm mãe.
Dona Maria é uma mulher que acorda na noite de olhos acesos,
Perscruta  vozes e barulhos, atenta ao destino dos outros.
Na manhã clara, agradece a Deus o milagre do mundo.
Confere as flores  que desabrocharam à noite.
Busca na fala cotidiana o entendimento da existência.
Olha o infinito e descobre Deus.
Lava as xícaras e oferece café às visitas.
Chega à varanda e cumprimenta os passantes.
Interessa-se pelas famílias e procura saber como tem passado cada pessoa.
Alisa rugas alheias e acaricia feridas com palavras de fé e de carinho.
Dona Maria é uma mulher como as outras.
Habitada por ideais singelos e pensamentos grandiosos,
invadida de compaixão pelos perdidos no encolhido do destino.
“...meu Deus, me ajude, preciso visitar doentes, colaborar com as casas de caridade...Que saudade dos meus filhos pequenos...
Preciso rezar...


Leia mais

Meu Grande Amor

13/01/2018

Meu grande amor           

      Imaginei meu grande amor assim:           
      Forte e arrebatador como o mar nas manhãs de ressaca, finda uma noite de tumultuosa procela.           
      Sutil como a inocência dos primeiros toques quando tudo se sente e tudo se quer, mas não se entrega.           
      Irreverente como a rebeldia comportada mesmo com o coração no agito desse sentimento inebriante, brisa da tarde que, se lavada de chuva, reaparece tímida como menina distante das impurezas da vida.           
      Afetuoso como mãos entrelaçadas, trêmulas de emoção e de desejo contido, nascido de uma química inexplicável...          
      E ei-lo que chega......


Leia mais

Pasárgada Pode ser Aqui... ..

19/12/2017

                                                               PASÁRGADA PODE SER AQUI...
                                                                         Ana Maria Moreira

Conceição,           
Em nosso país ainda ecoa o grito: “té tumê!           
Você não tem ouvido?!           
Você precisa escutar esse apelo!           
Cadê a sua coragem, a sua predestinação?!           
Onde está...


Leia mais

JOGRAL: Mãos Que Constroem o Mundo

19/12/2017

JOGRAL: Mãos Que Constroem o Mundo

MÚSICA:” Loves time”           
                “Uma ou várias gerações podem ter o sentimento de viver os últimos dias de uma época ou de um império, sem com isso estar em jogo o destino coletivo da humanidade.  
          
               “A maioria dos homens vivem, historicamente, como crianças, com um pequeno espaço de memória atrás de si, um estreito espaço de imaginação diante de seus passos, diante de seus olhos, diante de suas mãos.”                        

              “manus, manus, manui, manum, manu!”            

               MÚSICA: Do Cd  “Os ossos do...


Leia mais