Escreva as palavras nem muito unidas, nem muito separadas; e as letras nem muito grandes, nem muito pequenas. Como em tudo, o equilíbrio é o ponto ideal.Não esprema as palavras no fim da linha. Deixe sempre um pequeno espaço para você acrescentar alguma vírgula que se fizer necessária. Mas, conserve sempre o mesmo espaço, espécie de margem direita.Lembre-se de que as frases devem terminar sempre com alguma espécie de ponto. Não se esqueça deles.Não se esqueça de colocar pingo no “i” e no “J’.Comece a escrever cada parágrafo uns dois dedos (dois a três cm) após a margem.Não use repetidamente as palavras POIS e MAS. Quando não puderem ser eliminadasdo período, troque-as por outras equivalentes: em vez de POIS, escreva JÁ QUE, POSTO QUE, VISTO QUE, entre outras causais pouco usadas na oralidade; no lugar de MAS, use PORÉM,TODAVIA, CONTUDO, ENTRETANTO, NO ENTANTO, ou alguma outra que lhe aprouver, inclusive o QUE adversativo.Ex:      Outro, que não eu, faria este ato.OLHOS ATENTOS PARA NÃO USAR:A)QUEÍSMOAcredito que a pessoa que vimos quer que saibamos que ela é imprudente.O fato de que o homem que seja inteligente tenha que entender os erros dos outros e perdoá-los, não parece que seja certo”.B) GÍRIA:Acho a arquitetura muito legal, malandro. O cara que bola um projeto bacana está na dele sem grilo, sempre na melhor. È por isso que eu pus na cuca que estou nessa de arquiteto, numa boa”.C) ABSTRAÇÃO GROSSEIRA: “Aí nós pegamos e viemos embora”,“Ela virou pra nós e disse...”“Aí nós pegamos e pensamos: para aonde vai a humanidade?D) GERUNDISMO:Vou estar passando a sua ligação. Vou estar indo aí agora.  Quero estar atendendo você hoje ainda. E) CIRCULARIDADE:“Em minha casa há um pequeno quarto perto da cozinha, quarto esse em que costumo ficar durante o período da manhã para entregar-me aos estudos; é um quartinho sossegado, pois estando situado perto da cozinha, como falei. Fica isolado do barulho que reina em outras partes da minha casa.”F) ORALIDADE:É fácil ver em veículos coletivos a maior falta de educação do mundo. Não se respeitam mulheres nem crianças. Pisam-se nos calos alheios como se não tivessem donos.Hoje em dia a gente não vive, a gente vegeta, dizem que antigamente a coisa era melhorporque havia mais tempo para as diversões, para as conversas, para a família, e assimsucessivamente.G)FALTA DE FUNDAMENTAÇÃO DO ARGUMENTO USADO:Tenho por mim que o estudo da gramática é inútil. A moderna didática condena o ensino da gramática. O aprendizado de uma língua se faz pelos textos, não pela gramática – ensinam os entendidos.H) PONTUAÇÃO: Queres dançar comigo perguntou o rapaz oh! Como não respondeu a garota então vamos ao clube hoje há um esplêndido baile de formatura.I) PREOCUPAÇÃO COM A ATUALIDADE:Hoje, atualmente, preocupa-se com a globalização, o que, hodiernamente, é assunto para quem vive os dias atuais e entende dos avanços da modernidade nos dias atuais.J)AMBIGUIDADE:João ficou com Maria em sua casa.Alice saiu com sua irmã.K) CLICHÊS:Subir os degraus da glória, encerrar com chave de ouro, fazer das tripas coração, colocarem os pingos nos “is”, sair com as mãos abanando, com a voz embargada de emoção, é agora ou nunca, entre outros.( Se usar algum provérbio porque ele tem muita criatividade, escreva-o entre aspas.)L) ADJETIVOS CRISTALIZADOS: evite-os.Inflação galopante, caloroso abraço, silêncio sepulcral, silêncio mortal, sinceros votos,séria conversa, entre outros.M) CACÓFATO:Uma herdeira confisca gado.Nunca gaste dinheiro com inutilidades.Essas ideias como as concebo.“...de um povo heroico brado retumbante...”( fragmento do Hino Nacional )Não me espere. Vou-me já.N) EMBROMAÇÃO:Os jovens têm algo a transmitir aos mais jovens?Antes de mais nada, não saberia responder com exatidão. Grosso modo, há sempre uma eterna divergência entre as gerações. Os jovens pensam de um jeito, às vezes, estranho, que chega a escandalizar os mais velhos... Já os mais velhos, por outro lado, costumam, na maioria das vezes, achar que os mais jovens, em alguns casos, não têm absolutamente nada a transmitir aos mais idosos.O) ECO:Observar a diferença entre é ALITERAÇÃO OU ASSONÂNCIA, figuras de estilo e o ECO que  fere  o nosso ouvido e quebra a entonação frasal, reduzindo-a a uma certa pobreza léxica.A decisão da eleição não causou comoção na população.O aluno repetente mente e é indecente.P) PLEONASMOS VICIOSOS:Ela teve hemorragia de sangue.Subi para cima do morro.Acabamento final.Surpresa inesperada.Ao seu critério pessoal.Voltar atrás.Ao seu critério pessoal.Última versão definitiva.Comparecer em pessoa.Passatempo passageiro.Q) TRUÍSMO:Verdades evidentes: não há por que escrevê-las.Todos os homens são mortais.São Paulo é o maior centro industrial da América latina.A criança de hoje será o homem de amanhã.Os idosos são pessoas que já viveram muito.R)PRECIOSISMO:Pode-se ser correto, elegante sem exagerar na Língua Culta.“ Nos páramos etéreos, o astro-rei ia esparzindo luz como filigramas de ouro. “U)ADJETIVAÇÃO POBRE:Na dissertação, o adjetivo deve ser significativo, forte, situando-se entre o PRECIOSISMO e a SINGELEZA. Oaluno deve descobrir se a SEMÂNTICA do texto pede o adjetivo ANTEPOSTO ao substantivo (proporcionando abstração e leveza ao substantivo ) ou POSPOSTO ( proporcionando força e concretude ao substantivo.)Ex.:     Ingrata Pátria.Pátria ingrata.Amigo verdadeiro.Verdadeiro amigo.“ Verdes mares bravios de minha terra natal/ onde canta a jandaia nas frondes da carnaúba.”( J. A.)Mares verdes.

2. MAIS LEMBRETES IMPORTANTES

OUTROS PROCEDIMENTOS INADEQUADOS:Palavras de valor relacional iniciando o parágrafo;Palavras soltas introduzindo o parágrafo;Expressões com “na minha opinião”, eu acho”;Períodos muito extensos;Repetição de palavras;Determinadas transgressões à língua culta;Redundâncias;Argumentação inexistente ou inadequada;Ideias mal relacionadas;Ideias vagas, pouco desenvolvidas;Emprego de expressões desgastadas.CARACTERÍSTICAS ESSENCIAIS A UM BOM PARÁGRAFOUNIDADE: exposição clara de uma ideia central;COERÊNCIA: condição de interpretabilidade de um texto;COESÃO: condições gramaticais de boa formação de um texto;OBJETIVIDADE: exposição de ideias essenciais.LÍNGUA CULTA PADRÃO: emprego de uma modalidade escrita culta padrãoFLUÊNCIA: resultado dessas cinco características, o que torna a leitura fácil, inteligível, enfim, fluente.Ex. de um parágrafo:                        “O futebol tem sido usado pelos poderosos, no Brasil, como um meio de manipular as massas e distrair    a atenção das pessoas para que elas não pensem nos problemas reais do país. Certamente, o futebol é uma forma de entretenimento muito bela e interessante que não deve ser negada ao povo. O desafio da massa, porém, é não confundir a alegria e a emoção gerada pelo esporte com a realidade sociopolítica do país, que deixa muito a desejar.”

  • Facebook
  • Twitter
  • Google plus